Configurar Arduino IDE

Inicialmente, ao utilizar um Raspberry Pi Compute Module 4 (CM4) se faz necessário instalar o sistema operacional. Neste tutorial estaremos explicando o passo a passo para a realização deste processo realçando os pontos de mais atenção.

Iremos guiá-lo em como escrever no armazenamento eMMC.

Windows

No Windows, um instalador está disponível para instalar os drivers necessários e a ferramenta de inicialização automaticamente. De forma alternativa, um usuário pode compilá-lo e executá-lo usando o Cygwin e / ou instalar os drivers manualmente.

Para aqueles que desejam apenas habilitar o Compute Module eMMC como um dispositivo de armazenamento em massa no Windows, o instalador autônomo é a opção recomendada. Este instalador foi testado no Windows 10 de 32 bits e 64 bits e no Windows XP de 32 bits.

Certifique-se de que não está gravando em nenhum dispositivo USB enquanto o instalador está em execução.

  • Baixe e execute o instalador do Windows para instalar os drivers e a ferramenta de inicialização.
  • Conecte o USB do PC host na entrada USB da placa, certificando-se de que o jumper esteja na posição boot.
  • Aplique energia à placa; O Windows agora deve encontrar o hardware e instalar o driver.
  • Quando a instalação do driver for concluída, execute a ferramenta RPiBoot.exe que foi instalada anteriormente.
  • Após alguns segundos, o Compute Module eMMC aparecerá no Windows como um disco (dispositivo de armazenamento em massa USB).
Cygwin/Linux

Usaremos o Git para obter o código-fonte do rpiboot, portanto, certifique-se de que o Git esteja instalado. No Cygwin, use o instalador Cygwin. Em uma Pi ou outra máquina Linux baseada em Debian, use o seguinte comando:

 

Clone o repositório de ferramentas usbboot:

 

libusb deve ser instalado. Se você estiver usando o Cygwin, certifique-se de que o libusb esteja instalado conforme descrito anteriormente. No Raspberry Pi OS ou outro Linux baseado em Debian, digite o seguinte comando:

Agora crie e instale a ferramenta usbboot:

 

Execute a ferramenta usbboot e ela aguardará por uma conexão:

 

Agora, conecte a máquina host na porta escrava USB da placa do Módulo de computação IO e ligue a placa CMIO. A ferramenta rpiboot descobrirá o Módulo Compute e enviará o código de inicialização para permitir o acesso ao eMMC.

Inclusão das Especificações da FTTech

Para que o Arduino IDE consiga identificar nossas placas, primeiro precisamos deixá-las visíveis para o gerênciador de placas. Este passo não instala as placas nem as definições, apenas permite que a IDE reconheça mais modelos.
Abra o Arduino IDE, vá em preferências e encontre o campo de texto URLs Adicionais para Gerenciadores de Placas: e inclua o link abaixo:

Instalação das Especificações

Agora que a a inclusão da URL foi feita, a IDE conseguirá identificar nossas placas no Gerenciador de Placas.
O primeiro passo é abrir o Gerenciador de Placas.

Com o menu aberto, procure por “Arduino SAMD” e instale a opção com o título Arduino SAMD Boards (32-bits ARM Cortex-M0+) na versão mais atualizada.

Esse processo pode levar alguns minutos.

Agora que as ferramentas ARM estão instaladas, vamos instalar as nossas placas. Para isso, procure por “FTTech SAMD” e instale a opção com o título FTTech SAMD Boards – (dependency: Arduino SAMD Boards 1.8.11) na versão mais atualizada.

Esse processo pode levar alguns minutos.

Feito isso, mesmo que não seja obrigatório, recomendamos reiniciar a IDE.

Execução Básica

Nesta etapa, vamos picar o LED de reset, que pode ser visualizado externamente ao encapsulamento e também na placa.
Copie o código abaixo e cole na sua IDE, em seguida clique no botão de carregar.